sexta-feira, 27 de março de 2015

A importância do Carnaval de Zé Puluca no encontro Todos por Pernambuco


No dia 10 de abril o Governo do Estado de Pernambuco realizará o encontro Todos por Pernambuco, na cidade de Garanhuns. Trata-se de um projeto de governo que tem como objetivo de ouvir da população do Estado, sugestões nas áreas de educação, cultura, saúde, segurança, água, cidadania, desenvolvimento rural, economia, inovação, sustentabilidade e infraestrutura. A AMABC irá se reunir com alguns dos Delegados da Cultura de Bom Conselho, que hoje também fazem parte do Conselho Municipal de Cultura do nosso municio. O objetivo do encontro visa fomentar opiniões para que sejam apresentadas na sala temática da cultura. AMABC vem canalizando os apoios necessários, para que o Carnaval de Zé Puluca possa está presente com os seus bonecos gigantes, e assim ajudar a massificar, a melhor prévia carnavalesca do agreste meridional.

“O encontro Todos Por Pernambuco reunirá os 26 municípios da região do agreste meridional de Pernambuco, onde prefeitos, vereadores, deputados, senadores, secretários, entidades e sociedade civil, irão discutir assuntos pertinentes em diversas áreas, contribuindo de forma representativa para uma gestão mais participativa do governo de Paulo Câmara. A AMABC não se furtará na contribuição para o fortalecimento da cultura tanto da nossa região como para todo o Estado. Estamos tendo algumas dificuldades para os custeios de deslocamentos dos nossos bonecos gigantes e cachês dos bonequeiros, passistas e músicos. Mais apesar dos pesares, já conseguimos alguns apoios, gente que nem tem ligação com o nosso município, mas goza de esclarecimento necessário do entendimento que o Carnaval de Zé Puluca, hoje representa diante da nossa sociedade. Se Deus quiser, estaremos mostrando a cultura carnavalesca do nosso município, representando com o que temos de melhor, divulgando assim o III Carnaval de Zé Puluca, para que possamos atrair mais turista em nossa cidade, ajudando ainda mais com a circulação de dinheiro na economia de Papacaça”. Declarou Carlos Alberto, presidente da AMABC. 

quinta-feira, 26 de março de 2015

Carnaval de Zé Puluca receberá o pai dos seus gigantes no encontro Todos por Pernambuco


Em contato hoje com artista plástico Camarão, pai dos Bonecos Gigantes do Carnaval de Zé Puluca. Carlos Alberto presidente da AMABC, solicitou a convocação de 04 bonequeiros, que irão conduzir os bonecos gigantes do Carnaval de Zé Puluca, no encontro Todos por Pernambuco. Com data já confirmada para o dia 10 de abril na Cidade de Garanhuns. Para surpresa do presidente da AMABC, Josenildo Bezerra (Camarão), informou que possivelmente irá com os bonequeiros convocados, para prestigiar o Carnaval de Zé Puluca na Suíça Pernambucana.

Carta aberta do Presidente da AMABC


Recebi na manhã de ontem a grata noticia da existência de um Projeto de Lei, que foi apresentado na Sede do Poder Legislativo de Bom Conselho em prol do Festejo de Zé Puluca. A propositura é postulada pelo ilustre Vereador Genival Tavares, que congratula o “CARNAVAL DE ZÉ PULUCA”, instituindo e incluindo no calendário oficial de datas e eventos do Município de Bom Conselho a sua manifestação oriunda da cultura popular carnavalesca, e reconhecendo essa cultura como Patrimônio Cultural Imaterial de Papacaça. Na qual faço questão em aplaudir de pé, pela tão honrosa iniciativa do Parlamentar Geninho Tavares. Amigo e incentivador da cultura carnavalesca Carnaval de Zé Puluca. Esse Projeto dignifica a nossa expressividade cultural, que deslumbra em seu intimo, a valorização continua dos ilustres artistas da cultura popular de Papacaça. Espero que iniciativa como essa possa despontar em outras expressividades culturais do nosso município. Visando sempre a valorização, preservação, resgate e difusão dos valores culturais da nossa cidade. Em tempo quero externar votos de aplausos a todo Corpo Legislativo de Bom Conselho, pelos relevantes trabalhos em prol da nossa cidade. Ao Vereador Geninho Tavares nossos sinceros agradecimentos, por prestigiar o Carnaval de Zé Puluca. Cultura viva e Patrimônio Cultural do Povo de Bom Conselho.

Atenciosamente, 

Carlos Alberto
Presidente da AMABC.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Vereador Geninho Tavares prestigia o Carnaval de Zé Puluca com propositura


Por iniciativa do Vereador Geninho Tavares, foi apresentado nessa quarta-feira (25/03) no Plenário Cleonides Tenório Cavalcante, Sede do Poder Legislativo de Bom Conselho, o Projeto de Lei Nº 002/2015, onde “Institui e inclui no Calendário Oficial de Datas e Evento do Município de Bom Conselho e Considera como Patrimônio Cultural Imaterial o Carnaval de Zé Puluca”. A propositura seguiu aos cuidados das comissões competentes, onde será apreciada pelo Corpo Legislativo responsável. Caso receba pareceres favoráveis, seguirá ao Plenário da Casa de Dantas Barreto, para ser votado.


terça-feira, 24 de março de 2015

Uma foto rara do 1º Boneco Gigante do Homem da Meia Noite

Fotografia da década de 30, do desfile do Clube de Alegoria e crítica Homem da Meia Noite.

O atual Clube de Alegoria e Crítica Homem da Meia-Noite, surgiu no carnaval de 1931, como uma dissidência de sócios da troça carnavalesca Cariri de Olinda. Para desbancar o Cariri, tradicionalmente conhecido por abrir os festejos de Momo em Olinda, o então Homem da Meia-Noite passou a desfilar pelas ladeiras a partir dos primeiros minutos do domingo de Carnaval, levando em seu cortejo, além de um relógio alegórico marcando meia-noite, a tradicional Chave de abertura oficial do Carnaval da cidade. Nos dois primeiros carnavais, de 1931 e 1932, a troça não contou com alegorias. Saiu apenas com o seu estandarte, bordado com um relógio marcando doze horas, e um boneco gigante confeccionado por Luciano Anacleto de Queiroz e Benedito Barbaça, marceneiro e entalhador. Desfilou sem interrupções de 1931 até 1949. De 1950 a 1953, no entanto, o clube não saiu principalmente por falta de recursos financeiros. A partir de 1954, ano de comemoração da Restauração Pernambucana, o então prefeito de Olinda, Alfredo Lopes, destinou verbas para o clube que voltou a desfilar sem mais interrupções até hoje. O Calunga Homem da Meia-Noite, é considerado o boneco Gigante mais antigo de nossa Cultura com 82 anos, e é tombado como Patrimônio vivo de Pernambuco e no ano de 2006 é aclamado popularmente como símbolo do Carnaval de Olinda.

fonte: Fundaj

segunda-feira, 23 de março de 2015

A foto em busca de uma história


A imagem se destacava entre a pilha de fotografias do acervo do Diario de Pernambuco referentes ao carnaval. Estava lá, num papel meio amarelento, sem nenhuma indicação de data e autoria no verso. Que desfile foi este debaixo de chuva, que autoridade recebe flores ou entrega um troféu a integrantes de uma agremiação que enfrentam o aguaceiro sem perder o passo? Este singular registro ainda não foi encontrado nas páginas do jornal, mas o personagem em questão parece ser Ariano Suassuna, o escritor paraibano que adotou Pernambuco como lar até a sua morte no dia 23 de julho de 2014, aos 87 anos de idade. Entre 1975 e 1978, ele atuou como secretário de Educação e Cultura do Recife e poderia ter comparecido, como autoridade responsável, ao desfiles das agremiações na Avenida Dantas Barreto.

Na década de 1970, Ariano Suassuna frequentava as páginas do Diario não apenas como autoridade pública. Entre 1976 e 1977 ele publicou, primeiro no jornal, o seu livro História d’o rei degolado nas caatingas do sertão: ao sol da onça Caetana em formato de folhetim semanal. Antes e depois, já havia concedido ao Diario muitas entrevistas e lido várias resenhas sobre a sua obra. Terá sido realmente ele nesta foto? Quem souber de mais detalhes, cartas à redação. Ou melhor, comente aqui mesmo, no Direto da Redação.

Atualização da postagem – No dia 16 de fevereiro, o internauta Jhonatan Lourenço deixou um comentário na postagem desta foto no Facebook do Diario. Ele escreveu: “Eu sei, Diario, quando foi isso. Isso foi em 1979 na Avenida Nossa Senhora do Carmo durante o desfile das agremiações. Era uma segunda-feira e chovia bastante. Naquela época havia uma espécie de júri que ficava um pouco do lado do pessoal que ficava nas arquibancadas e Ariano foi o jurado naquele ano. Prova disso tenho comigo, uma foto de minha mãe, toda molhada, ao lado do mestre”.

Na coleção do Diario sobre o carnaval em 1979 não foi localizada a imagem acima de Ariano. Ela realmente permaneceu inédita todo este período. Tornou-se pública graças à internet. E à ajuda de quem aprecia uma fotografia excepcional. Como o principal personagem dela.

Fonte:http://blogs.diariodepernambuco.com.br/diretodaredacao/2015/02/12/a-foto-em-busca-de-uma-historia/