domingo, 10 de maio de 2015

Mestre Galo Preto e Dona Selma do Coco homenageados no Carnaval 2012 de Pernambuco


No Carnaval 2012, a FUNDARPE decidiu inovar criando um Encontro de Cocos no município de Olinda. Neste 1° Encontro, foram homenageados os dois Patrimônios Vivos de Pernambuco, dois únicos atualmente neste posto de reconhecimento a representarem o coco estadualmente. O Mestre Galo Preto e a Dona Selma do Coco, receberam certificados e homenagem pública em dois palcos criados exclusivamente para o evento, um no Largo do Guadalupe, em frente a Igreja do Guadalupe e outro na Praça do Amaro Branco. Outros artistas do coco cantaram para festejar este momento. Ferrugem, Aurinha do Coco, Coco de Umbigada, Mestre Pombo Roxo, Zeca do Rolete entre outros músicos tocaram nos palcos para reverenciar estes dois grandes idosos.



O texto dos certificados discorriam assim:
"O Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura presta homenagem ao Mestre Galo Preto e a Dona Selma do Coco, Patrimônios Vivos de Pernambuco, durante o Encontro de Cocos do Carnaval de Pernambuco 2012. Por sua relevante contribuição para o fortalecimento da cultura popular".




Morre Dona Selma do Coco, e Pernambuco perde mais um Patrimônio Vivo


Faleceu às 16h50 deste sábado (9), a artista Selma Ferreira da Silva, conhecida como Selma do Coco. Ela teve falência múltipla dos órgãos após 29 dias de internamento no Hospital Miguel Arraes, em Paulista. A cantora e compositora havia dado entrada no hospital após ter fraturado o fêmur em uma queda. Minutos antes da morte, Selma teve uma parada cardíaca, chegando a ser reanimada, mas não resistiu.

Durante a semana a cantora foi transferida para o Hospital da Restauração, onde passou por bateria de exames que detectou uma infecção urinária. Na quinta-feira (23), ela passou por uma cirurgia para correção da fratura. Desde então, vinha sendo tratada com diálise, após complicações nos rins.

Festejada pelos mangueboys e manguegirls, ela foi atração do festival Abril Pro Rock 1996, ao lado de nomes como Mundo Livre S/A, Camisa de Vênus e Chico Science & Nação Zumbi. A consagração veio com o hit "A rolinha", sucesso nos carnavais do final dos anos 1990. O primeiro disco, "Minha história", saiu em 1998. Nas letras, a cantora faz questão de reafirmar suas origens. "Eu moro em Olinda, canto coco há muitos anos, em todo canto, que beleza!".

O sucesso de Selma do Coco serviu de inspiração para o minidocumentário "Som da Rua", lançado em 1997 por Roberto Berliner. No filme, que pode ser conferido aqui, Dona Selma fala sobre as influências e origens do coco. Ganhou Menção Especial do Juri no Mostra Internacional do Filme Etnográfico/RJ - 1998, além do prêmio Sol de Prata no Rio Cine, em 1997.

Dona Selma também foi atração do prestigiado festival de jazz de New Orleans, nos EUA. Ela representou o Brasil na edição de 2001, ao lado de nomes como Hermeto Pascoal, Chico César, Cascabulho e o Maracatu Nação Pernambuco.

Em 2008, a coquista foi agraciada com o título de Patrimônio Vivo do estado de Pernambuco, um reconhecimento pelo trabalho desempenhado no âmbito da cultura pernambucana. E, em agosto de 2010, foi homenageada pelo Ministério da cultura e pelas comemorações dos 22 anos da Fundação Palmares, como uma das divas da cultura negra brasileira (Afro-brasileira), na área do segmento artístico, perdendo apenas, em votação online, para Chica Xavier, atriz consagrada e estrela global.

Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/viver/2015/05/09/internas_viver,575745/faleceu-artista-selma-do-coco.shtml

Carnaval de Zé Puluca, a festa de momo da família bonconselhense


Bom Conselho é uma cidade de vários encantos, onde sua beleza é vista de varias formas, entre elas está o seu festejo de momo de Papacaça, que no seu passado foram realizados inúmeras folias carnavalescas ao som do maestro José Duarte Tenório (Zé Puluca). Após uma pesquisa minuciosa, Carlos Alberto, idealizador do Carnaval de Zé Puluca, levou as ruas no dia 23 de fevereiro de 2014 a primeira edição do Carnaval que homenageia a memória de  Zé Puluca, onde mais de 4.000 foliões caíram no passo com seu frevo rasgado. Naquela ocasião já era visível à presença de famílias inteiras no festejo de Puluca. Em 2015 foi realizado no dia 08 de fevereiro a segunda edição da Folia do maestro Puluca, onde mais de 10.000 foliões foram render homenagem aos bonecos gigantes do Carnaval de Zé Puluca, Gigantes estes que retratam alusivas imagens dos ilustres artistas e filhos de Bom Conselho. E mais uma vez o corpo familiar estavam em peso nas ruas de Papacaça. Levando com si, todo esplendor da sua alegria, agregada as multicores de suas fantasias. Diante de tudo, podemos dizer que o Carnaval de Zé Puluca é sem duvida a festa da família bonconselhense.