quarta-feira, 29 de abril de 2015

AMABC prioriza a confecção do Boneco Gigante de Tonho de Dinda


Como todos bem sabem que por motivo de força maior o Gigante de Tonho de Dinda não ficou pronto, frustrando a todos que aguardavam com bastante ansiedade a presença durante o II Festejo de Puluca. A frustração atingiu a todos, inclusive seus familiares. Na ocasião Carlos Alberto, idealizador do Carnaval de Zé Puluca, foi obrigado a suspender a I Ressaca do Tonho de Dinda, por entender que não teria sentido realizar o referido evento sem a presença do gigante do homenageado. Na época o artista plástico Camarão, foi hospitalizado por 15 dias, vitima de uma forte virose. Impossibilitando o artista a confeccionar um boneco com a semelhança digna do homenageado. Agora já devidamente restabelecido, Carlos Alberto retoma os trabalhos em prol da realização da I Ressaca de Tonho de Dinda, onde a prioridade das confecções dos bonecos de 2016 é o de Tonho de Dinda.

“Estamos retomando os trabalhos em prol da realização da I Ressaca de Tonho de Dinda, onde o boneco gigante de Tonho será o primeiro a ser confeccionado para os festejos de 2016. Tivemos que amargar a tristeza de não poder realizar essa justa homenagem a esse grande bomconselhense. Como prometido, a confecção do Boneco Gigante de Tonho de Dinda é uma prioridade do nosso trabalho, em breve vamos noticiar as medidas já tomadas, e restabelecer a certeza da realização desse evento, que prestará justa homenagem a memória desse grande carnavalesco”. Declarou Carlos Alberto, presidente da AMABC.

Em tempo de crise financeira, festejo junino de 2015 será regido em ritmo regional


Diante da atual crise que vem assolando os municípios do Brasil afora, tem levado muitos prefeitos de Pernambuco a reduzir custos no mais variados setores da administração pública. Nesta quarta-feira (29), se reuniu na sede do Consorcio de Municípios do Agreste e Mata Sul do Estado de Pernambuco, na cidade de Agrestina os Chefes dos Poderes Executivos dos municípios: São Joaquim do Monte, Bezerros, Quipapá, Camocim de São Félix, Sairé, Bonito, Belém de Maria, Agrestina, Altinho, Ibirajuba, Cupira, Lagoa dos Gatos, Panelas, Jurema e Barra de Guabiraba. Na ocasião foi acordado pelo corpo de prefeitos dos 15 municípios, a redução nos investimentos na realização dos festejos juninos de 2015. Levando os municípios a reduzir números de dias de festa junina. Diante do momento desfavorável para contratação de bandas que cobram verdadeiras fortunas, o jeito é mudar o discurso, e falar: a nossa cultura popular é mais forte que os percalços momentâneos. Esperamos que o comprometimento com os artistas locais, não conduzam o recebimento dos seus cachês a serem pagos com 6 meses.