terça-feira, 10 de maio de 2016

AILTON SANTANA: Exposição na África, Marrocos



AMABC: Nossa cultura é apartidaria, mas a nossa consciência e politizada!


A nossa entidade, assim como as nossas ações em prol da cultura de Papacaça são “apartidárias”. O que não impede dos nossos membros serem “partidários”. Também não defendemos o “Anti-partidarimo”, movimento esse de cerceamento da liberdade de expressão. Não é preciso ser um estudioso para se perceber que quando o assunto é cultura, valorização artística, patrimônios materiais e imateriais, memória, a classe política de um modo geral, fecham os olhos dando pouca ou nenhuma atenção sobre o assunto. Pois na verdade, assim como no restante do nosso país, a cultura política brasileira defende que quanto menos se tem acesso a educação e cultura, mais fácil fica em controlar o povo. Algumas pessoas (minoria inexpressiva) tentam rotular o trabalho da AMABC como movimento partidário, o que na verdade nunca foi e jamais será. Há três carnavais, realizamos o CARNAVAL DE ZÉ PULUCA, prévia carnavalesca que vem ganhando destaque não só em Bom Conselho, mais em toda região do agreste meridional pernambucano. Sempre com total isenção da promoção política sobre “a”, “b” ou “c”. Assim iniciaremos o processo da implantação do Festival “Viva Basto Peroba”, uma justa homenagem em vida ao nosso mais ilustre sanfoneiro, onde iremos mobilizar toda sociedade bonconselhense. Em contra partida, também não abriremos mão do movimento cultural que estamos promovendo, nem tão pouco abdicaremos da representatividade política na Câmara Municipal de Bom Conselho. Precisamos ter alguém que possa representar a cultura bonconselhense de verdade. Queremos vez e voz, que defenda os interesses da valorização, preservação e difusão das leituras culturais tão presente nas expressividades artística dos nossos artistas. Viva a cultura bonconselhense. 

Viva Zé Puluca e Viva Basto Peroba!!!



AMABC: Em busca da Orquestra Criança Cidadã


A Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque é trabalho maravilhoso de educação inclusiva, idealizado pelo  juiz de Direito, João José Rocha Targin e gerido pela ABCC – Associação Criança Cidadã, mantida pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco, criada em 2000, pelo então presidente Nildo Nery. É prova de que boas ideias e arte, quando associadas ao compromisso com a coletividade, podem transformar vidas, quiçá o mundo.

A Escola de Música do Projeto Orquestra Criança Cidadã foi inaugurada em dia 25 de julho de 2006, para 130 alunos oriundos das escolas públicas de uma das comunidades mais violentas e pobres do Grande Recife. A AMABC, encaminhou a assessoria do Projeto Orquestra Criança Cidadã, pré-agendamento da entidade responsável para uma apresentação em Bom Conselho.