sexta-feira, 23 de agosto de 2013

A Arte de Tonho Buzunga do Acordeon ...


A AMABC em sua peregrinação em prol da cultura bomconselhense, conheceu o trabalho do artista popular de Antonio Vieira de Barros, popularmente conhecido por Tonho Buzunga, alcunha herdado da sua saudosa mãe, iniciou seu oficio de músico pelo instrumento do cavaquinho, feito de Imburana,  árvore nativa da caatinga.



Oriundo de família humilde de Bom Conselho, a aquisição do seu Cavaquinho foi graças a uma divida de cachaça do boteco de Dona Maria Buzunga, que recebeu como pagamento e presenteou seu primogênito, Tonho Buzunga já tocou com o Sanfoneiro Basto Peroba, acompanhando pelo Esplêndido Zabumbeiro João Cego, seu saudoso compadre.


Tonho Buzunga continua tocando nos quatro cantos de Bom Conselho, seja no Logradouro dos Leões, Cachoeira do Pinto, Rainha Izabel, Barra do Brejo, Lagoa de São José, levando com sigo, a simplicidade da riqueza cultural nordestina, Sanfoneiro de Bom Conselho, município do berço cultural de Pernambuco.

Ariano Suassuna tem recuperação satisfatória, diz boletim


Hospital indicou que o escritor continuará mantendo repouso absoluto e ainda não pode receber visitas

Boletim médico divulgado pelo Real Hospital Português, no Recife, informa que o escritor Ariano Suassuna continua com recuperação satisfatória do infarto que sofreu no começo desta semana.

“Todos os parâmetros clínicos e de exames complementares estão dentro do curso natural” e não houve qualquer imprevisto no quadro de melhora. Sentencia médico do Hospital Português no Recife.   

O hospital indicou, contudo, que o escritor continuará mantendo repouso absoluto e ainda não pode receber visitas.

Ariano Suassuna, deixará a Unidade Coronária e será transferido para um apartamento do Real Hospital Português, no Recife, onde dará prosseguimento ao tratamento de recuperação. Segundo o boletim médico, divulgado por volta das 16h40 desta quinta-feira (22), ele deverá manter-se em repouso absoluto. As visitas permanecem expressamente proibidas.

Durante o tempo em que esteve internado na Unidade Coronária, o paciente evoluiu bem. Todos os parâmetros clínicos e de exames complementares estão dentro do curso natural e não houve intercorrências. No entanto, não há previsão de alta.