terça-feira, 9 de maio de 2017

A beleza de Naiara Miranda e Anna Paula presente no set de filmagem da Folia de Puluca


A beleza de Naiara Miranda e Anna Paula marcarão presença em set de filmagem, que propagará a Cidade de Bom Conselho através das cores e brilhos do Carnaval de Zé Puluca. As Bonconselhenses acima integrarão a um seleto grupo de jovens que anunciará através dos encantos turísticos de Bom Conselho, toda a alegria contagiante da Folia de Puluca. A AMABC está bem perto de concluir o numero de participantes. Em breve sairá a relação completa de todos os envolvidos nesse novo projeto da Associação dos Músicos de Bom Conselho que promete perpetuar a memoria de cada participante.

A incrível importância da preservação da memória cultural e seus valores, do erudito ao popular


Por: Carlos Alberto.

Apesar dos fortes registros da história que nos dar sempre bons exemplos sobre a importância da preservação da identidade cultural de um povo, é comum mesmo em tempos na era moderna. Os poderes públicos pouco ou nenhuma importância dar sobre o assunto, conduzindo toda uma sociedade a descartar seus valores culturais. Passando a falsa sensação que resguardar e valorizar memórias e costumes, não contribuem em nada para o desenvolvimento de uma cidade. O que não é verdade!  Alguém já parou para pensar o que seria da vida do homem sem musica, dança, pintura, escultura entre outras artes da era moderna? Quem ainda não se lembra das antigas canções de ninar, que tanto as mães em nossas infâncias costumavam a cantar para embalar os nossos sonos? Tempos bons que não voltam mais!


Outro bom exemplo, destaco a vida do talentoso mestre do Classicismo, Wolfgang Amadeus Mozart, compositor e pianista austríaco, considerado um dos músicos mais influentes e destacados da história. Sendo o mesmo responsável em influenciar o grande Ludwig Van Beethoven, o incrível homem da 9ª Sinfonia, que foi seu aluno. Mesmo com o sucesso de suas obras Mozart morreu pobre, chegando a ser enterrado em uma vala comum. Sua memória só não caiu no total esquecimento, graças a sua primeira esposa, Constanze Weber e seu fiel cão. Ao tomar conhecimento do falecimento de Mozart, Constanze partiu de Paris para Viena a fim de visitar o túmulo do seu marido. Ao chegar lá, entrou em desespero ao saber que Mozart havia sido enterrado como indigente, sem que lhe dessem nem uma placa com seu nome como lápide. Mesmo diante do rigoroso inverno europeu de baixo de frio e chuva. Constanze resolveu “vasculhar” o cemitério à procura de alguma “pista” que pudesse dizer onde Mozart fora enterrado. Procurando entre os túmulos, viu um pequeno corpo, congelado pelo frio, em cima da terra batida. Chegando perto reconhece o cachorro querido de Mozart. Hoje, quem visitar Viena, verá um grande mausoléu, onde está o corpo de Mozart e de seu cachorro. Foi por causa do amor desse animal de estimação que Mozart pode ser achado e removido da vala comum onde fora enterrado. Ele permaneceu com seu dono até depois do final. Morreu junto ao túmulo de seu dono porque, sem ele, não poderia mais viver. Hoje a Cidade de Viena vive intensamente dos desfrutes financeiros da memória do grande e incomparável Maestro Mozart.