domingo, 17 de maio de 2020

Rumo a Rota dos Gigantes Europeus (STEENVOORDE)

  Maria et Mariona, Jean le Bucheron e Jacobus


Jean le Bûcheron, nascido em 1914. Destruído durante a última guerra mundial em maio de 1940, foi reconstruído em 1948 por Maurice Deschodt- Pattein, um pintor de Hazebrouck, que deu vida a trinta gigantes da região, incluindo Tisje Tasje d ' Hazebrouck, Belle Roze d' Ardres e Aliboron d' Estaires. Rosalie, (1993) gigante da Ryveld, transportadora de leite e Jacobus (2004) filho de Jean le Bûcheron. Todos de propriedade Les Amis de Fromulus.

Belle-Hélène Steenvoorde

La Belle Hélène encontra-se seu nome em uma canção de gesto do século XIV, que narra as belas aventuras da bela. Este gigante nasceu em meados da Quaresma em 1853. Depois dos Gayants de Douai, dos Reuzes de Dunkerque e Cassel, o Gargantua de Bailleul la Belle Hélène é um dos mais antigos gigantes do carnaval da Flandres. Saiu com mais ou menos regularidade até 1910. Recriada em 1980, lembra a memória de uma jovem e atraente mulher flamenga que vende flores nos mercados do cantão. Em 2005, Belle Hélène foi totalmente reconstruída em vime. De propriedade da associação de carregadores "Les Amis de Gambrinus", o gigante ganhou várias vezes o primeiro prêmio de dança no festival dos gigantes realizado em Lille.

Edgar le Motard

Edgar le Mortard, (2007) gigante construído na Catalunha, representante do motoqueiros, propriedade de Moto Club Steenvvorde.


Jean-Charles
 Jean-Charles (2002) gigante representando um estudante de Steenvoorde.


Steenvoorde
Por: Carlos Alberto 

Chegamos a Steenvorde, localizada na Flandres francesa, bem no coração das montanhas de Flandres, a 268 Km de Paris, pouco menos de 9 Km de Cassel e a 125 Km de Bruxelas (Bélgica). 


Anualmente a cidade realiza seu carnaval internacional de verão e também proporciona uma das mais tradicionais rodadas de festival de gigantes carregados de toda Europa. Reunindo centenas de bonecos gigantes dos 5 Continentes. 


O Carnaval de Steenvoorde e seus gigantes foram incluídos no inventário de patrimônio cultural intangível na França em 2013.