domingo, 21 de julho de 2013

A Arte Popular de Bom Conselho Brilha no Palco da Enseada dos Corais....




A Musicalidade de Mané Caju dos 8 Baixos, Pedro no triângulo, Bastião na zabumba e Audalio no banjo e cavaquinho, foi cantada ao som de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Trio Nordestino e Jackson do Bandeiro, abrindo os festejos da multiculturalidade pernambucana, no Centro Cultural da Armação da Praia Quebra Prancha, em Enseada dos Corais, Cabo de Santo Agostinho. 



Associação dos Músicos Amadores de Bom Conselho - AMABC esteve presente com sua diretoria, apoiando e incentivando a Arte Popular de Bom Conselho, conduzindo o Forró Pé de Serra de Bom Conselho, a uma integração das batidas do Coco de Roda, proporcionando uma sambada com muito forró, integrando a as misturas de ritmos a um Intercâmbio Cultural.



Por onde se apresenta Mané Caju dos 8 Baixos, ganha novos admiradores, que fazem questão de parabenizar a sua musicalidade popular.


Essa integração, tem ajudado a levantar a autoestima dos nossos artistas, que passam a entender, que seus dotes culturais, são importantes para representatividade de Pernambuco.



É mágico poder observar, quando esses artistas de localidades bem diferentes, passam a integrar seus conhecimentos, em uma diversidade imaginável.



Carlos Alberto e Zé Roberto, vem realizando uma parceria bastante proveitosa para cultura de Bom Conselho, Zé Roberto que já esteve a frente da cultura do Cabo de Santo Agostinho, junto com Fernando Filizola, realizaram avanços culturais importantes para o Município do Cabo.


“É impossível está presente em uma festa dessa natureza, e não se envolver, a cultura de Pernambuco é fascinante”. A juíza Tiago Severo.



“Como membro da AMABC, estou vivenciando momentos de grande conhecimento cultural, e posso garantir que passo entender melhor a importância da cultura em nossas vidas”. Assevera Eduardo Soares.



Coco de Pontezinha, Ganhador; PRÊMIO MINC LUDICIDADE PONTINHO DE CULTURA 2008 * PRÊMIO MINC PONTO DE LEITURA 2008 * PONTO DE CULTURA MINC/FUNDARPE 2009.


 

Coco centenário surgido no Alto Santa Rosa, conduzido por D'Veia, antiga moradora local. Zezinho Varelo, Antenor, Severino Grandão e Seu Luís herdaram a tradição. Juntos fundaram o Coco do Sacramento, em frente a casa de D'Dalva, a Rainha do Coco. O tradicional Acorda Povo, sempre acontecia acompanhado de Coco e Panelada. Ao passar do tempo a brincadeira cresceu, e faltou espaço na rua, para o público. Assim, ao lado do Antigo Chafariz, os Mestres edificaram o Palanque do Coco.
http://cocodepontezinha.blogspot.com.br


É uma pela que na pratica alguns governantes, insistam envolverem suas administrações em projetos pessoais e não das integrações das políticas públicas voltadas ao fortalecimento dos costumes e tradições do seu povo, Segundo Max Weber, Há dois modos pelos quais alguém pode fazer da política a sua vocação: viver para a política: faz dela a sua vida, num sentido interior, desfruta a posse do poder que exerce pela consciência de que sua vida tem sentido a serviço de uma "causa"; ou viver "da" política: quem luta para fazer dela uma fonte de renda permanente.


Esse é um momento que refletimos, segundo Shakespeare nos ensina quando diz: “... Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundo para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida, aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distancias, e o que importa não é o que você tem na vida, mais quem você tem na vida...”




Nado do Bojo da Macaíba e Mané Caju dos 8 Baixos, não se conheciam, mas através da interação cultural passaram, a trocar sua vivencias culturais.   
 



“Está com esses mestres da cultura popular é dignificante, e poder vivencia os costumes do Coco e do Forró e passar a entender a importância da cultura na vida do homem, que mesmo na simplicidade, é possível poder instruir-se, e o quanto temos muito que aprender sobre a vida.” Assevera Carlos Alberto. 



Servulo Antonio da Silva Ferreira “o Veio Abidoral”  artista, radialista, mestre de cerimônia, comediante, apresentador, compositor, esteve presente, e deu seu show a parte no Palco Cultural do PQP, e se encantou com a arte dos 8 Baixos de Mané Caju e parabenizando toda sua equipe pela memorável apresentação, Abidoral é forrozeiro dos bons, e tem um programa de grande sucesso em Cabo de Santo Agostinho. (http://abidoral.com.br)



Nado do Bojo da Macaíba, integrou o grupo Tambor Falante. Foi percussionista da banda Textículos de Mary. Fez parte do Balé Kebiosô. Atuou como percussionista com a cantora Cátia de França. Participou de projetos com Naná Vasconcelos e Erasto Vasconcelos.
http://obojodamacaiba.blogspot.com.br