domingo, 28 de julho de 2013

AMABC em Prol da Cultura Quilombola de Bom Conselho ...




A palavra quilombo é originária do idioma africano quimbundo, que significa: “sociedade formada por jovens guerreiros que pertenciam a grupos étnicos desenraizados de suas comunidades”.

O Território Remanescente de Comunidade Quilombola é uma concretização das conquistas da comunidade afro descendente no Brasil, fruto das várias e heroicas resistências ao modelo escravagista e opressor instaurado no Brasil colônia e do reconhecimento dessa injustiça histórica. 

 
Embora continue presente perpassando as relações socioculturais da sociedade brasileira, enquanto sistema, o escravagista vigorou até 1888 e foi responsável pela entrada de mais de 3,5 milhões de homens e mulheres prisioneiros oriundos do continente africano – embora haja discrepância entre as estimativas apresentadas, Sérgio Buarque de Holanda faz uma análise das mesmas considerando este um número sensato. 


Além de oriundos dos antigos quilombos de escravos refugiados é importante lembrar que muitas das comunidades foram estabelecidas em terras oriundas de heranças, doações, pagamentos em troca de serviços prestados ou compra de terras, tanto durante a vigência do sistema escravocrata quanto após sua abolição.

Aqui em Bom Conselho temos cinco territórios devidamente reconhecidos pela Fundação Cultural Palmares:

Comunidade Quilombola Angico
Localização: Sítio Angico.

Comunidade Quilombola Angico de Cima
Localização: Sítio Angico de Cima.

Comunidade Quilombola Macacos
Localização: Sítio Escorrego.

Comunidade Quilombola Isabel
Localização: Sítio Lagoa da Pedra.

Comunidade Quilombola Flores
Localização: Sítio Flores.

Registramos avanços sociais bastante relevantes em algumas comunidades Quilombolas de Bom Conselho; casas de alvenarias, cisternas, escolas, cestas básicas entre outros benefícios.

Porém há setores totalmente desprezados nas comunidades Quilombolas de Bom Conselho; Saúdes, Formações Profissionais, Gerações de Empregos entre outros.


A CULTURA infelizmente faz parte do rol da desassistência pública, levando as Comunidades Quilombolas a descaracteriza-se, pois os recursos de investimentos na preservação dos costumes e tradições Afro-brasileira, não contemplam os Remanescentes de Quilombos em canto algum do território brasileiro.

Associação dos Músicos Amadores de Bom Conselho – AMABC, que vem abraçando as causas em prol da cultura em terra de Papa Caça, elaborou um projeto visando resgatar, parte dos acervos culturais ainda existentes nas Comunidades Remanescentes de Quilombo em Bom Conselho.

“Não disponhamos de recursos financeiros e nem apoio dos poderes públicos, mais temos algo bem valioso, a vontade de ajudar, através do nosso olhar vamos dar um tom cultural nas Comunidades Quilombolas de Bom Conselho, até porque já iniciamos as primeiras ações”. A juíza Carlos Alberto.

Em breve, estaremos publicando os feitos das nossas ações, em prol dos Quilombolas bomconselhenses.