domingo, 11 de agosto de 2013

AMABC Participa da I Conferência Municipal da Cultura ...


Com palavra de ordem “Em Defesa da Nossa Cultura Popular” a Associação dos Músicos Amadores de Bom Conselho, participou da sua primeira Conferência de Cultura em toda sua existência, a Diretoria se fez representar através do seu presidente, vice – presidente, maestro regente e diretor de comunicação. 


Com o tema “Cultura, a Identidade de um Povo”, foi aberto a I Conferência Municipal de Cultura. O Movimento de Resgate Cultural Carnaval de Zé Puluca,  saudou os artistas de Bom Conselho.


O Sanfoneiro Mané Caju dos 8 Baixos e Banda, deram as boas vindas dos participantes, ao som de uma genuíno Pé de Bode, que demonstrou através da sua simplicidade um dos mais contagiante ritmo nordestino, “Forró Pé de Serra”.


A Conferência teve a participação de ilustres músicos bomconselhenses, que se fizeram presente, objetivando apresentar suas sugestões e reivindicações, o musicista Zuzinha dos Teclados, que ocupa o cargo de Maestro Regente da AMABC, marcou presença, levando sua experiência de décadas como músicos.




O Radialista e Diretor de Comunicação da AMABC José Roberto, foi convidado a compor a mesa do referido Fórum Cultural, e no uso das suas palavras defendeu veementemente a importância da Conferência, Zé Roberto pleiteou a criação de uma Secretaria de Cultura e de um Conselho Municipal de Cultura, importantes ferramentas para o fortalecimento da Cultura do nosso município, em tempo Roberto suscitou a importância da criação de um Museu para Bom Conselho, destacando também as necessidades de restaurações que tanto o Centro Cultural Valdemar Gomes de Santana aclama, Zé Roberto que já foi Diretor de Cultura de Bom Conselho e Gerente de Cultura no Cabo de Santo Augustinho, sabe que é impossível haver avanços nos movimentos culturais em Bom Conselho sem uma especifica secretaria de cultura e um atuante conselho de cultura, Roberto destacou a importância da valorização dos artistas de Bom Conselho e de criações de oficinas que possibilitem crianças e jovens estarem mais próximo da cultura.



O Reisado do Mestre Basto, também se fez presente na conferência, para apresentar as diversidades que o seu Reisado vem atravessando, em conversa com o presidente da AMABC o Mestre Basto revelou seu sonho de reativar seu movimento cultural, e falou da tristeza em ver sua arte impossibilitada de realizar apresentações, pelos simples fato de apoio e valorização da arte popular em Bom Conselho.


Agremiação Carnavalesca Bloco do Ginga Samba, foi representada pelo seu presidente na ilustre pessoa de José Marcio, que há mais de uma década anima os Festejos de Momo e Juninos de Bom Conselho, O Bloco do Ginga foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial de Bom Conselho (Lei Municipal Nº 1.571/2012).


O Artesanato de Bom Conselho também foi representado, pela a Artesã Jailsa Rodrigues, que teve sua Arte reconhecida como Patrimônio Cultural de Bom Conselho (Lei Municipal de Nº 1.545/2012). nossa artesã realizou sua primeira Exposição na XIV Fenearte de Pernambuco, e recentemente foi convidada para expor seus artesanatos no Estado de Minas Gerais.


A Força da Associação Cultura Popular Raio de Luz, se fez presente, através da sua idealizadora e presidenta, na pessoa da guerreira Professora Inês Almeida, que há mais de uma década, resgata crianças e adolescentes em risco de vulnerabilidade social, seu trabalho voluntario é considerado pela sociedade bomconselhense, um dos mais imensuráveis de Bom Conselho, em 2012 Associação Raio de Luz teve toda sua Arte considerada como Patrimônio Cultural (Lei Municipal de Nº 1.532/2012).


Na ocasião os presidentes de entidades Carlos Alberto e Profª Inês Almeida, debateram as dificuldades que a cultura em Bom Conselho vem atravessando, e falaram da grande importância da realização da I Conferência Municipal de Cultura.


Os artesões Joás Messias e Juliane Karine levaram algumas peças para expor na  I Conferência de Cultura, onde possibilitaram a todos que se fizeram presente, os encantos dos artesanatos de Bom Conselho, verdadeira arte popular.  



Padre Marcelo Protásio foi o palestrante da conferência, onde apresentou com bastante propriedade conhecimento da valorização da cultura de um povo e sua importância, Protásio alertou com sapiência os possíveis prejuízos que as bandas de grandes massas trazem para uma sociedade, entre uma delas a extinção da cultura local. Padre Marcelo fundamentou diante dos presentes, que os meios de comunicações vêm interferindo na formação cultural dos nossos jovens, conduzindo ao gosto de uma musicalidade sem identidade própria, musicalidade essa pejorativa em desfavor da mulher, sem comprometimento cultural, canalizando a um mercado desenfreado empenhado apenas ao consumismo, comércio esse já sentenciado na obrigação dos altos ganhos de vendas em suas apresentações musicais, arrastando os valores culturais de varias gerações, a uma consequência irreparável.


A Conferência também foi abrilhantada com a presença do casal de artistas plásticos de Bom Conselho, Joás Messias e Gláucia Cavalcante, que também exibiram suas expressividades artísticas na localidade.


Associação Comunitária do Alto de Santa Terezinha, foi representada pelo seu Presidente Expedito Oliveira, que também compartilhou suas ideias com a plenária, vale registra que entidade do Alto de Santa Terezinha goza de reconhecimento de utilidade pública, e que há mais de uma década, realiza uma das mais contagiantes quadrilha junina.


Os Conferentes foram agraciados com a presença do escritor, declamador e compositor Augusto Gomes de Assis. Poeta Vocacionado na arte da escrita, que na ocasião registrou diante de todos sua tristeza por falta de apoio e desprezo por décadas pelos Poderes Públicos de Bom Conselho diante do seu trabalho Literático, e que jamais em tempo algum, se quer foi contemplado com uma caneta, por nenhum seguimento público ou privado, e que todo fruto do seu trabalho sempre foi custeado por recursos próprio, tomado pela sapiência de anos de muita vivencia, nosso Declamador levou para todos a esperança de dias melhores para a nossa cultura local, e falou da importância da união dos valores adormecidos da nossa sociedade, aclamou por mais empenho de todos que ama Bom Conselho de verdade, já em suas considerações finais, Augusto declamou um dos seus poemas mais apaixonantes por sua amada terra natal, poema esse que expressou valores de uma Bom Conselho Mãe, que desde sua existência, produz frutos de valores imensuráveis para Pernambuco e para o Brasil. 



Registramos a presença de Afonso Marinho cantor e compositor católico que recentemente lançou o seu mais novo Cd “Foi Deus quem Fez”, Marinho que é autor de mais de 300 composições falou da falta de apoio, e asseverou que não é fácil conquistar espaço para vendas dos seus Cds, e que não há nenhum incentivo de seguimento algum para propagar seu trabalho, a não ser de Deus. 

Com a Temática “Implementação do Sistema Nacional de Cultura”  participou do Grupo I, Afonso Marinho, Emmanuel Leonel do Blog o Argonauta, Carlos Alberto, Aparecida, Vitor da comunidade Remanescente do Escorrego e estudantes da rede de ensino estadual.



Apresentação dos pleitos apresentado pelo Grupo I:


  • A criação do conselho incentivador e fiscalizador da cultura;
  • Desmembramento da administração cultural da educacional, criando a secretaria de cultura;
  • Desmembramento da administração esportiva da educacional, criando a secretaria de esporte;
  • A obrigatoriedade de ensino de história local da rede educacional;
  • Criação do centro de referência de apoio aos costumes e tradições quilombolas;
  • Valorização dos artistas locais;
  • Resultado do censo colocado em domínio público;
  • Apoio do poder público e da sociedade e da imprensa às entidades culturais;
  • Criação de referencia cultural;
  • Interligar o centro cultural com os dados nacionais de cultura;
  • Incentivar as empresas de processo de apoio cultural por meio de incentivos fiscais;
  • Democratizar os recursos vindos dos incentivos fiscais;
  • Solicitar uma autorização do inventário cultural da  FUNDARPE;
  • Realização da audiência pública cultural;
  • Pagamentos serão efetuados a esferas nacionais, estaduais e municipais através de crédito em conta específica em programas com títulos, razão específica para os mesmos;
  • Criação de um valor mínimo de cachê a nível federal para os artistas gerais;
  • Criação do calendário cultural no município;
  • Criação de um local para realização de eventos;
  • Criação de um programa educacional de transmissão cultural feita pelos artistas locais com uma remuneração mensal;


A AMABC foi representada na pessoa do seu presidente Carlos Alberto, que defendeu veementemente a cultura popular bomconselhense e a sua importância em nossa sociedade, Alberto destacou os feitos que a Entidade Musical vêm apresentando em defesa da cultura de Bom Conselho, com um trabalho de resgate, valorização e difusão da classe artística de Papacaça, Carlos Alberto foi um dos palestrantes convidado pela Diretoria de Cultura do Município de Bom Conselho, para realizar o encerramento da I Conferência Cultural em Bom Conselho, e assim o fez, homenageando a pessoa do saudoso Maestro José Duarte Tenório (Zé de Puluca), Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco, na ocasião foi apresentado o rosto em argila que serviu de moldagem para confecção da manifestação cultural e artística do Maestro Puluca, projeto esse de resgate cultural, planejado e executado pela Associação dos Músicos Amadores de Bom Conselho, que em parceria com os familiares de Zé Puluca, irão realizar uma das mais contagiantes festas popular em Bom Conselho.




A Profª Sonia Tenório fez uso da palavra e compartilhou, a emoção e alegria de está com seus familiares naquele momento, participando de uma justa homenagem ao maior Músico da Historia de Bom Conselho Maestro Puluca, Sonia relembrou com carinho os momentos dourados que viveu junto ao pai, patriarca esse que tanto amou, mesmo diante de uma perda irreparável por sua morte, Profª Sonia chamou pra si a maior missão da sua vida, não deixar que a obra do Maestro Puluca tombasse em esquecimento, assim fez durante mais de uma década até os dia de hoje, escrevendo artigos para o jornal Agazeta, participando de debates em rádios e pelas redes sociais, José Duarte Tenório foi e sempre será, a maior referencia artística musical de Bom Conselho, autor de mais de 200 composições. Hoje suas Composições são consideradas como Patrimônio Cultural Imaterial de Bom Conselho e do Estado de Pernambuco. “Um Paradoxo para sua época, ele era simplesmente autodidata”. Sentenciou Sonia Tenório.



A Profª Maria Cardoso fez uso da palavra, a convite de Carlos Alberto e declamou sua admiração em lagrimas pelo apreço ao seu Professor de Canto Orfeônico Maestro José Duarte Tenório, Cardoso recordou os carnavais vividos em anos dourados, momentos que levaram jovens apaixonados da sua época, a celebrarem suas uniões, conduzindo a um matrimonio fortalecido pelo amor, Maria Cardoso elevou seu aclamo ao céu, agradecendo ao Maestro Puluca, por ter sido uma pessoa de grande importância na sua vida.  
  

A família do Maestro Puluca se fez presente com; filha, noras, netas, neto e bisneta, um encontro memorável para I Conferência Municipal de Cultura, um importante registro em memória daquele que sem duvidas vai se perpetuar na Historia de Bom Conselho e de Pernambuco, nos que fazemos a AMABC, agradecemos a cada membro familiar do Maestro José Duarte, o privilegio de resgatar a memória artística desse ícone da cultura popular de Bom Conselho e agora de Pernambuco.

Parabenizamos a pessoa do Senhor Prefeito Dannilo Cavalcante Vieira, a Senhora Secretária de Educação Maria Claudete Matos Dias de Melo e da Senhora Diretora de Cultura Laura Fabiana de Miranda Ferro, pela realização da I Conferência Municipal de Cultura. 


PERNAMBUCO
AO SEU EMINENTE FILHO
MAESTRO 
JOSÉ DUARTE TENÓRIO