sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Saudades dos antigos carnavais


Que bons tempos aqueles já tão distantes. Aqueles grupos de famílias sentados à beira das avenidas acompanhando os corsos no vai e vêm tão alegres, com as serpentinas e os confetes coloridos atirados por todos os cantos. Os lança-perfumes quando usados apropriadamente. Os bailes de salão são os que mais sentimos saudades, pois tínhamos nosso grupo de amigos e todos os anos iam aos mesmos bailes. Nos carnavais de antigamente realmente eram diferentes dos atuais, mais simples e sem o luxo de hoje. O povo daquela época, usava qualquer coisa como fantasia: uma máscara, um chapéu, um vestido de mulher, um sapato de salto alto extravagante e usávamos toda nossa energia para extravasar ao máximo nossa imaginação prazenteira, aqueles quatro dias eram fantásticos, pois começava no sábado e ia até a Terça-feira Gorda, e as músicas carnavalescas mais tristes que se ouviam, isso já pelas quatro horas da madrugada da terça feira, eram aquelas que diziam: “Ai... ai... ai! Tá chegando a hora, o dia já vem chegando e eu tenho que ir embora”. “É de fazer chorar, quando o dia amanhece eu vejo o frevo acabar, oh quarta feira ingrata chega tão depressa, só para contrariar”.