terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Bom Conselho: uma nação do coco adormecida


Mesmo tendo Galo Preto como Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco, Bom Conselho ainda não se despertou diante da sua riqueza cultural. Sua arte é uma referencia, na rica expressividade da cultura do coco.



Ficamos a questionar: como pode um município que tem mais seis comunidades Remanescentes de Quilombos, não haver uma consciência de fortalecimento em seus costumes e tradições? 


Muitos quilombolas de Bom Conselho já perderam as referencias importantes das suas raízes, onde um rico patrimônio cultural, oriundo da terra de Papacaça foi totalmente abandonado, levando a rica Nação do Coco a ficar condenada ao esquecimento de tradições passada por gerações. Por isso AMABC já tomou pra sim, a responsabilidade de despertar, a maravilhosa cultura de coco em Bom Conselho. 


Logo após a espetacular apresentação da arte do coco de Galo Preto (Patrimônio Vivo de Pernambuco), no 5º Encontro dos Bonconselhenses, o presidente da Entidade de Músico de Bom Conselho, levou o Mestre Galo Preto para conhecer o Café do Coroné. Carlos Alberto em conversa com o Rei da Embolada e do Repente, falou de sua preocupação, diante da rica cultura do coco, condenada a não mais expressar sua rica cultura, oriunda do povo escravizado em tempos de um Brasil colônia de Portugal. 


Galo Preto imediatamente se disponibilizou em poder ajudar. Com isso durante permanecia de Tomaz Aquino Leão (Galo Preto), em terras de Quilombos de Papacaça. Carlos Alberto registrou em mais de 300 fotografias e 30 filmagens, encontro e reencontro com seus familiares, gente do Bairro São Rafael, Centro de Rainha Izabel e Sitio do Escorrego, onde a cada parada Galo cantava seus repentes para expressar o seu amor, a sua alegria, a todos os amigos e entes queridos. Foram dias inesquecíveis para Galo Preto e para cultura de Bom Conselho, sendo tudo bem registrado pela AMABC, garantindo as gerações vindouras o direito de poder conhecer a arte e a história do bomconselhense, Galo Preto, Patrimônio Vivo de Pernambuco.    
 

“Não é que o povo de Bom Conselho não goste de cultura, infelizmente por falta de incentivos em prol a cultura e políticas publicas de valorização, preservação, resgate e difusão. Nosso povo está aprendendo a viver sem cultura”. Pontuou Carlos Alberto, presidente da AMABC.