quinta-feira, 5 de março de 2015

O Homem não morre em quando sua obra está viva


A bem da verdade se faz necessário registrar os fatos como realmente são. Se buscarmos um simples histórico artístico do saudoso Zé Delicado na rede mundial dos computadores, não encontraremos. Nada, nada, nada. Não há registros de fotos ou informações sobre a vida artística de Zé Delicado.

O maestro José Duarte Tenório já foi um ilustre desconhecido diante das mais recentes gerações de Bom Conselho. Mais graças ao Projeto Carnaval de Zé Puluca, sua arte e sua memória ressurgiu como mágica. Hoje já existe registros nas redes sociais, salas de bate papos, sites e blogs sobre sua vida artística. Informações essas encontradas através de fotografias e da sua biografia. Uma iniciativa da AMABC - Associação dos Músicos de Bom Conselho, que ora representada pelo seu presidente e idealizador do Carnaval de Zé Puluca, vem contribuindo para o rico patrimônio das memórias do município bomconselhense. 

“O Homem não morre em quando sua obra está viva”. Assim ajuizava o saudoso maestro pernambucano, José Menezes. Que durante as filmagens do Documentário “Sete Corações” registrou sua arte como maestro apaixonado pelo frevo.