sexta-feira, 24 de julho de 2015

Um ano sem Ariano: vida e obra do escritor viram história em quadrinhos

"Ariano Suassuna em quadrinhos", de Bruno Gaudêncio narra trajetória do dramaturgo da infância ao sucesso com obras como Auto da Compadecida 

Em uma noite de verão, cerca de 2 milhões de telespectadores sintonizavam a TV Globo para assistir à estreia da 14ª edição do Big brother Brasil. Um deles, a mais de 1.800 quilômetros de onde estavam confinados os participantes do reality show, acompanhava o programa com desinteresse, pois aguardava a próxima atração da emissora, uma adaptação do romance A emparedada da Rua Nova, de Carneiro Vilela. Ele, também autor consagrado, surpreendeu-se ao ser citado em rede nacional. Após questionamento do apresentador Pedro Bial sobre qual era o maior escritor de Pernambuco, a recifense Bella Maia não titubeou ao apontar Ariano Suassuna (natural de João Pessoa). Choveram críticas.

Na tarde seguinte, o criador de Auto da Compadecida abriu as portas de casa para a repórter do Viver Fernanda Guerra para "fazer a defesa" da garota. "Nasci na Paraíba, mas pertenço à história cultural de Pernambuco também. Estreei na literatura aqui". Talvez Ariano não tenha atentado para isso, mas aquele episódio, no começo do ano passado, fez muito paraibano torcer o nariz. Para amenizar a aversão ao comentário recorrente de que o escritor era “mais pernambucano do que paraibano”, o jornalista e historiador Bruno Gaudêncio lança a HQ Ariano Suassuna em quadrinhos (Patmus, R$ 30), com ilustrações de Megaron Xavier. A obra será lançada no dia 8 de agosto, em João Pessoa, e no dia 31 de agosto em Olinda, durante a Feira Nordestina do Livro. No dia 29, será lembrado um ano da morte do pai do movimento armorial.

"Ariano é conhecido no Brasil inteiro e alguns paraibanos ainda insistem nesse provincianismo. Mas é uma coisa de poucos. Discordo completamente. Culturalmente, o país como um todo deve muito a ele, por isso a homenagem", diz. Com linguagem lúdica, os quadrinhos narram a vida de Ariano de forma cronológica, a partir dos primeiros anos, ainda na Paraíba. "Comecei abordando a infância complicada, difícil, trágica, com a morte do pai, a perseguição politica que a família dele sofreu. Depois, vem o contato com a cidade de Taperoá, onde foi formatada toda a constituição artística de Ariano, o contato com a cultura popular, o teatro de fantoches, a cantoria de viola, a literatura de cordel".


Depois da ida para o Recife, a HQ narra os estudos no Ginásio Pernambucano, a integração ao movimento teatral do Recife e o encontro com a companheira Zélia. A parte final faz incursão pelas principais obras de Ariano, como A pedra do reino e Auto da Compadecida, além da projeção que o conjunto da obra teve da década de 1950 para cá. Também sublinha a atuação na política cultural, como secretário de município e governo, e a atuação como professor universitári

Serviço
Lançamento de Ariano Suassuna em quadrinhos (Padmus, R$ 30)
Quando: 31 de agosto
                                                                                  Onde:Fenelivro, no Centro de Convenções de Pernambuco
Vem por aí

OBRA INÉDITA
Ainda sem previsão de lançamento, o livro inédito deixado por Ariano Suassuna, O jumento sedutor, é considerado “a síntese de toda a obra”. Segundo o pesquisador Carlos Newton Júnior, não se trata de um livro simples, assim como Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa. “Só mergulha nesse universo o leitor mais maduro. Este é um livro para leitores de Ariano”. O escritor preparava a obra desde 1981.
 



AUTO DA COMPADECIDA
Prestes a completar 87 anos, em junho do ano passado, Ariano autorizou o ilustrador pernambucano Jô Oliveira a adaptar para as HQs a peça Auto da Compadecida. Apesar da sinalização positiva, o projeto estacionou após a morte do escritor. Segundo Oliveira, é necessária uma resposta da família. "Estão perdendo este grande momento para divulgar a obra de Ariano junto às crianças. É uma oportunidade incrível", comenta o artista. 

Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/viver/2015/07/20/internas_viver,587562/um-ano-sem-ariano-vida-e-obra-do-escritor-viram-historia-em-quadrinhos.shtml#.Va1B1txGGXM.facebook


 
Com você no III Carnaval de Zé Puluca