domingo, 27 de dezembro de 2015

O Exército de um homem só


Hoje tomamos a liberdade de escrever um pouco da história do exército de um homem só. Muitos dos foliões do Carnaval de Zé Puluca nem imagina que na verdade, move tudo isso. E ainda por cima sozinho. Isso mesmo sozinho! A folia de Puluca é projetada e executada pelas mãos do seu idealizador. Assim conduz Carlos Alberto o reino de Puluca. Que de sã consciência imaginam que um único homem consegue move sozinho uma das mais vibrantes prévia carnavalesca na região agrestina. Sem dinheiro, sem prestigio político e com um pouco de apoio. Assim nasceu o Carnaval de Zé Puluca. Para chegar onde chegou Carlos Alberto precisou trabalhar em silencio de forma isolada. Viu nos obstáculos a oportunidade de crescer. Orgulho de quem soube enfrentar as turbulências da vida e vencendo cada etapa. Orgulho de ser um vencedor diante dos objetivos conquistados, jamais abriu mão de seus valores fundamentais. Superação, perseverar, existir e um inabalável espírito de luta. Foram tributos decisivos na construção desse novo momento, que impulsionaram a vontade de ir mais um pouco além. Mesmo sem garantias, sem dividendos e sem vantagens. Essa é uma daquelas histórias que a fé na força divina, venceu o pessimismo de alguns, fazendo alegria de milhares!