sábado, 7 de maio de 2016

CARLOS ALBERTO: Em defesa do Festival Viva Basto Peroba


Houve uma época que os tecidos de chitas expressavam a rica cultura junina nordestina, despertando a elegância da mulher sertaneja nas comemorações dos Festejos dos Santos Juninos. Tempos que se ouviam poesias em ritmos de música – “... Meu coração só pede o teu amor / Se não me deres posso até morrer”. Assim se ouvia os acordes armorial da cultura musicista nordestina, que tanto Ariano Suassuna lutou e defendeu. 

Quem não se lembra da presença marcante de Dominguinhos com Basto Peroba no Palco do ForróBom. Onde os olhares apaixonados se encontravam quando Dominguinhos cantava e tocava  – “... Eu só quero um amor / Que acabe o meu sofrer / Um xodó pra mim do meu jeito assim / Que alegre o meu viver”. Tempos marcantes que não voltam mais. Por falta de memória e de valorização aos artistas da terra, assistimos de camarote o legado de Dominguinhos, filho natural de Bom Conselho, ser registrado em Garanhuns. O que além de ser muito triste para a nossa cultura, nos rotula como um povo que nada tem e que nada valoriza. Pensando nisso, assim como foi criado os movimentos "Viva Cazuza e Viva Dominguinhos", Carlos Alberto, defende a criação do Festival Viva Basto Peroba. a ser realizado anualmente no mês de setembro. Uma justa homenagem em vida, ao nosso maior sanfoneiro bonconselhense na atualidade. Tornando-se o festejo de Bom Conselho, um encontro de sanfoneiros, cantores e interpretes do genuíno forró-pé-de-serra.