sábado, 14 de junho de 2014

Prefeitura de Bom Conselho firma parceria com a AMABC e não cumpri


Foi encaminhado o seguinte Oficio aos cuidados da Direção de Cultura do Município de Bom Conselho. Vejamos :

“Oficio: 802/2014

Bom Conselho, 07 de maio de 2014. 

A sua Senhoria Laura Ferro MD - Diretora de Cultura do Município de Bom Conselho 

Assunto: Parceria cultural 

Prezada Senhora Diretora, 

AMABC - Associação dos Músicos Amadores de Bom Conselho, entidade essa de pessoa jurídica privada, sem fins lucrativos, registrada no CNPJ / MF: 00000000000000, com Sede na Rua São João, 142, Centro, Bom Conselho - PE, Patrimônio Cultural do Município de Bom Conselho, Lei Municipal Nº 1.438/2009, Fundada em 01 de Novembro de 2004, que visa resgatar, valorizar, preservar e difundir a classe artística e suas expressividades culturais em nosso município. Diante do exposto, vem respeitosamente através do seu Presidente, solicitar uma parceria cultural entre a Prefeitura Municipal de Bom Conselho, através da Secretária Municipal de Educação com a AMABC, no sentido de viabilizar apoio na realização do nosso novo Projeto Cultural durante os jogos da Seleção do Brasil, onde a cada vitória da nossa Seleção, festejaremos pelas ruas de Bom Conselho com o Boneco Gigante de Pedro de Lara uniformizado com a camisa da Seleção Brasileira. Diante do exposto, solicitamos 7 Músicos locais, para tocarem frevo durante o percurso de cada vitória da nossa Seleção, e o apoio da Guarda Municipal, para que possa garantir segurança aos foliões.

Pois bem, o oficio foi enviado por e-mail aos cuidado do Ilustre Senhor Roby Araújo, Chefe de cultura do Município de Bom Conselho, em conformidade a data do oficio ( 07/05/2014), assim foi entregue pelo o Ilustre Senhor.

O Senhor presidente dessa entidade, foi pessoalmente falar com a Senhora Secretaria de Educação de Bom Conselho, onde foi reiterado o pedido por 3 vezes, sendo bem recebido pela mesma, onde asseverou que a Prefeitura tinha interesse sim em apoiar trabalho cultural desenvolvido pela AMABC.

Após 32 dias do pleito, foi informado a nossa Direção por telefone pela senhora Diretora de Cultura, que o referido pleito tinha sido aprovado, e que a Prefeitura de Bom Conselho seria parceira do Projeto Hexa do Pedrão. 

Imediatamente a AMABC deu conhecimento por 3 dias a realização do evento tendo com parceiro a Prefeitura de Bom Conselho, via carro de som.

Porém para a nossa surpresa, a Prefeitura não tinha ainda fechado contrato com os referidos músicos que se comprometeu em enviar.

O presidente da AMABC ficou só sabendo ao meio dias do dia 12 de junho, ou seja faltado pouco menos de 5 horas para realização do evento, levando Carlos Alberto a procurar a representante legal pela pasta de cultura, para obter melhores esclarecimento do fato ocorrido, onde a mesma que sempre nos deu a devidas atenções, tentou explicar o inexplicável, informado que tinha sido liberado um sanfoneiro para o evento da nossa entidade.

Em tempo o presidente da AMABC, afirmou que não tinha solicitado sanfoneiro, mais sim 7 músicos locais para tocarem frevo, em resposta a contestação de Carlos Alberto, a Senhora Diretora de Cultura asseverou “os músicos se recusaram a tocar pelo programa mais educação”.

Novamente Carlos Alberto, pontuou. “Eu solicitei a Prefeitura de Bom Conselho através da sua Secretaria músicos para tocarem frevo, não me importa por quais vias a contratação deveria ser feita, entendo que o assunto é de ordem administrativo, o que não está certo é se comprometer, e no dia do evento informar que não a viabilidade para atender o oficio”.     

Diante do acontecimento, só restou ao presidente ir em busca dos mesmos músicos para saber a possibilidade de contrata-los pela AMABC, fato esse que ocorreu.

Após se reunir com os referidos músicos, o presidente procurou saber o que realmente tinha ocorrido, onde foi revelado na frente dos presentes, tendo como testemunha o Maestro Aguiar de Palmeira dos índios o seguinte depoimento. “Queriam que a gente tocasse para AMABC pelo Programa Mais Educação, onde informamos que não seria possível, tendo em vista que o referido programa já tinha sido encerrado, e que só poderíamos atender o pedido mediante a contratação dos nossos serviços como músicos. E nos perguntaram quanto seria para 6 músicos tocarem? Respondemos que o custo seria de R$70,00 (setenta reais) por músico, em seguida foi solicitado uma segunda proposta, onde informamos que até R$50,00 (cinquenta reais) para cada músico a gente poderia se apresentar, em seguida ficaram de dar uma resposta, onde não houve o retorno da confirmação”.

Trocando por miúdos, a contratação dos músicos seria no importe de R$ 300,00 (trezentos reias), valor esse inexpressível para uma Prefeitura pagar em prol de sua cultura, restando apenas o entendimento que o referido pedido não foi atendido por questões políticas, restando para entidade em arcar com as despesas com os músicos da terra.  

Fato esse que não entendemos. Jamais em tempo algum, houve ofensas por parte da nossa entidade em desfavor a atual gestão que administra a Prefeitura de Bom Conselho, como cidadãos livres temos nossas próprias escolhas, garantida pelo sagrado Direito Constitucional, queremos ter apoio da prefeitura sem comprometer a imagem da nossa entidade em favor de interesse político, pois se assim foi feito a AMABC deixa de ser uma entidade com fins de promover cultura.

“Tenho certeza que o nosso trabalho é bem avaliado pela nossa sociedade, não há interesse da AMABC em tecer criticas contra o Prefeito Dannilo Godoy, ele bem sabe, que a tempo atrás quando estava iniciando atividade com fins industrial no ramo de leite em Bom Conselho, recebeu da minha pessoa total apoio a sua candidatura como Prefeito, tanto foi verdade que levei o meu simplório apoio de três partidos com 15 candidatos dos 34 candidatos a vereadores em favor a sua conjuntura política, dando total apoio a sua vencedora candidatura a Prefeito, inclusive apresentando ao mesmo o deputado Bruno Araújo, congressista esse que foi apoiado a reeleição pela minha pessoa por duas vezes (2006- 2010), tive oportunidade de trabalhar como diretor da Secretaria de Assistência Social, por 6 meses, onde fui afastado do meu cargo segundo o mesmo por motivos da legalidade no percentual de gasto na folha de pagamento da PMBC, mesmo não estando mais na conjuntura do seu governo, jamais usei de mídia ou de outros meios para deferir palavras em seu desfavor, estou a frente de um Projeto que visa valorizar e resgatar e fortalecer a cultura de Bom Conselho, apenas solicitei a viabilidade de atender o oficio com fins específicos em prol da cultura, se não podiam atender bastava apenas indeferir o pleito, informando com antecedência da inviabilidade, para que a entidade pudesse buscar novas alternativas”. Declarou Carlos Alberto, presidente da AMABC.