sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Por isso quando eu passar, batam palmas pra mim


Angústia, solidão, um triste adeus em cada mão, lá vai meu bloco, vai, só desse jeito é que ele sai, na frente sigo eu, levo o estandarte de um amor, o amor que se perdeu, no carnaval, lá vai meu bloco, lá vou eu também, mais uma vez sem ter ninguém, no sábado e domingo, segunda e terça-feira, e quarta-feira vem, o ano inteiro, é sempre assim, por isso quando eu passar, batam palmas pra mim.