quarta-feira, 3 de junho de 2015

Arte de Galo Preto vira Patrimônio Cultural Imaterial de Bom Conselho


Ontem na Câmara Municipal de Bom Conselho, foi aprovado por unanimidade o Projeto de Lei de autoria do Vereador Geninho Tavares, que reconhece toda expressividade artística e cultural de Tomaz Leão Cavalcante "Mestre Galo Preto", como Patrimônio Cultural Imaterial de Bom Conselho. Um justo reconhecimento àquele que vem dedicando há mais de 70 anos, sua vida em prol da Arte do Coco, levando o nome de Bom Conselho e Pernambuco aos quatro cantos do mundo.

“Minhas considerações sobre o assunto em tela grifa sob o destaque acima mencionado. Quero aplaudir de pé, de forma calorosa, o nobre gesto do parlamentar Geninho Tavares. Que através do exercício do seu mandato, outorgado pela vontade democrática do povo bonconselhense, apresentou na Casa Legislativa de Dantas Barreto e defendeu com toda veemência, o Projeto de Lei, que passou a dar o justo reconhecimento à expressividade cultural, ao um dos mais ilustres filhos de Bom Conselho. Tomaz Leão Cavalcante, "Mestre Galo Preto" Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco. Graças às ações do gabinete do nobre edil Geninho Tavares. A Arte de Galo Preto passou a ter reconhecimento em sua terra natal. É muito triste para o artista, saber que apesar da sua arte ser admirada e premiada em vários lugares, não é reconhecida na terra em que nasceu. Mais agora finalmente foi feito justiça. Galo Preto que já é Patrimônio Vivo de Pernambuco, agora tem a sua arte reconhecida como  Patrimônio Cultural Imaterial de Bom Conselho. Viva a rica cultura de Bom Conselho, berço do Coco, dos quilombos com suas lindas canções”. Pontuou Carlos Alberto, presidente da AMABC.