segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Carnaval de Zé Puluca inspira criação do boneco gigante de Manoel Moraes

Maestro Francisco Aguiar, Edneide Cotrim, Dr. Claúdio e Dona Marieta

Esteve hoje na Sede do Carnaval de Zé Puluca o Maestro Francisco Aguiar e familiares do saudoso Maestro Manuel Moraes. Assim como o Maestro Puluca, Manoel Moraes em vida também foi Maestro e compositor da sua cidade, idealizador da Banda Os Tremendões. Como musicista adorava tocar trombone de vara. Instrumento companheiro até o último suspiro da sua vida. No passado de outrora o maestro Zé Puluca e o sanfoneiro Basto Peroba chegaram a tocar juntos na Banda Os Tremendões. Era uma época que os músicos compartilhavam suas habilidades e conhecimentos no oficio de musicista. Bailes, formaturas e festejos embalavam a juventude dos anos dourados daquela época. Hoje o que restou além do relevante legado artístico do saudoso maestro. Um mar de saudades. Doces lembranças ainda existentes nos corações dos amigos e familiares.

Dona Marieta e Edneide Cotrim viúva e filha do maestro Manoel Moraes. Inspiradas no Projeto do produtor cultural Carlos Alberto. Palmeiras dos Índios homenageará seu saudoso maestro, que ressurgirá na alusiva forma de um boneco gigante. Nesse próximo festejo momesco de Palmeira dos Índios, o Bloco Carnavalesco “Os Tremendões” festejará sua 2ª Folia. Sendo desta vez com a presença do seu eterno maestro em forma de um boneco gigante. 

Ficou a incumbência de Carlos Alberto, em contactar o mestre artesão Camarão, para confeccionar o referido boneco gigante. Dessa união quem sabe, que no futuro próximo, Bom Conselho e Palmeiras dos índios celebrarão a folia dos Maestros.

Palmeira dos Índios em breve, festejará a chegada do seu mais ilustre filho, em forma de um boneco gigante. 

Cadê o meu Maestro Manoel Moraes / partiu pra eternidade e não volta mais / deu show com seus arranjos alegrou os corações / cadê Os Tremendões que não toca mais / saudades é que ficou em seu lugar / saudades que nos faz tanto chorar / dancei alegremente ao som do seu trombone / trombone teve o nome Manoel Moraes / trombone fez o nome Manoel Moraes. (Letra, música, enredo, instrumentação e orquestração do Maestro Francisco Aguiar).